Onde blogs e books não se enfrentam

junho 2, 2009 § 3 Comentários

Blooks – Tribos e Letras na Rede é uma exposição para amantes da comunicação e das revoluções tecnológicas que transformaram suas possibilidades. Pode ser também para os amantes da literatura e da poesia, mas isso me parece ter importância secundária.

A internet, a democrática internet, que já derrubou tantas barreiras (culturais, físicas, espaciais), cada dia mais invade as outras mídias e é invadida por elas, para o deleite dos comunicadores que não têm medo de aonde vai dar tudo isso e do quanto teremos que nos adaptar, aprender, mudar hábitos.

Essas inversões ficam evidentes no pequeno espaço da exposição, onde palavras e vozes são a atração principal e convidam o espectador a procurar os sites, blogs e fotologs após a visita. Além do site da própria Blooks, que traz mais conteúdo literário, mais informação e o mais legal: os vídeos das oficinas, mesas redondas e apresentações.

Com tanta contemporaneidade, não deu para entender por que tão pouco espaço para um assunto que pode ser tão explorado. Talvez a palavra falada (dos debates etc.) tenha sido prioridade. Ou talvez aquela resistência ao novo ainda tenha lá suas forças. Vejamos como será daqui pra frente.

Blooks – Tribos e Letras na Rede
7 de maio a 28 de junho de 2009
3a a 6a, das 13h às 21h30
sáb/dom/feriados, das 10h às 18h30
Sesc Pinheiros (2o andar)
R. Paes Leme, 195

Visite: http://blooks.net.br/

Anúncios

Virada Cultural 2009

maio 3, 2009 § 2 Comentários

Quando me perguntam o que eu mais gosto em São Paulo, é difícil escolher uma coisa só. Mas a primeira que vem à cabeça, pela carga emocional que carrega, sem dúvida é o cenário artístico-cultural.

A Virada Cultural foi uma belíssima ideia: organizar uma programação cultural de 24 horas ininterruptas, pela cidade toda, unindo todos centros culturais, concentrando os shows (que acabam sendo a principal atração) no centro velho da cidade -lindo e decadente-, isso é que é democratizar a cultura.

Estou vendo pela internet, ao vivo em streaming, o show do Zeca Baleiro no palco São João. Na plateia, prestigiando o artista, outra artista, Zelia Duncan. No conforto do meu lar, consigo ver tudo. Claro que não substitui o bom e velho som ao vivo, mas tudo tem seus prós e contras: ontem fui ao mesmo palco São João, ver Jon Lord, tecladista do Deep Purple, tocando com uma orquestra, e no fim só consegui ouvir. Além do espaço muito estreito, montaram um corredor para o staff dividindo a avenida da praça, e quem quisesse ficar na linha do palco tinha que dar uma volta enorme e atravessar a muvuca. Desencanei e fiquei onde dava para ouvir melhor. Show.

Shows de qualidade, outros nem tanto. Depois de Jon Lord, fui à República, assim como a rockeirada em peso, mas a banda não encantou. Conseguimos o mapa com a programação na base móvel da polícia e fomos para o Vale do Anhangabaú ver a Sopro Cia. de Dança, com dança moderna (ou seria contemporânea?), ao som de uma valsa de Tchaikosvky. Lindo. Ah, tinha bastante banheiro disponível.

Galera jovem, tiozões, tiazonas, tiazinhas, famílias pai-mãe-filho-filha, rockeiros, góticos, punks, travestis, reggaeiros, rodas de amigos, casais, gente sozinha, todo tipo de gente e todo mundo junto, por toda a parte. O comércio estava todo aberto, comi um pastel na praça Julio Mesquita e depois dei uma passada na Galeria Olido. A frente do Teatro Municipal estava linda e lotada para os show que iam acontecer lá dentro.

A transmissão ao vivo pelo site da TV Cultura está ótima também. Eu amo a virada cultural, amo São Paulo e amo a internet! Programa obrigatório todo ano, porque vale a pena.

O Caderno da Morte, no CCSP

abril 10, 2009 § 6 Comentários

“Aquele cujo nome for escrito no caderno morrerá”: é a primeira e principal regra do caderno encontrado pelo estudante Raito. O caderno pertence a um Shinigami, um Deus da Morte, e Raito vê aí uma oportunidade de transformar o mundo fazendo a própria justiça, e logo as coisas começam a fugir do controle.

Esta é a trama da peça, que tem por base o mangá Death Note, de Tsugumi Ohba e Takeshi Obata.

Um montagem linda e moderna, é como eu descrevo O Caderno da Morte. Usa recursos de vídeo, som e iluminação em perfeita harmonia com o trabalho dos atores, eliminando aquela “afetação” que às vezes caracteriza a interpretação teatral, quando a ação do ator é quase o tempo todo o único recurso e foco de atenção. O som dá o clima e os efeitos ideais, as luzes dinamizam as cenas, os vídeos complementam seus significados.

O elenco merece destaque, em especial o “L” de Miguel Atênsia, que impressiona pela expressividade de alguém entre a plena sanidade e a maluquice, o Shinigami de Bruno Garcia (ótimo!) e a Mira de Thaís Bradengurgo, certamente inspirada nas personagens femininas do animes e trazendo mais a aura japonesa da história.

Tudo isso e uma aventura policial contemporânea tornam o espetáculo muito agradável de assistir, do início ao fim. Só me pergunto como conseguem que produções assim boas custem apenas 5 reais.

O caderno da morte
105min / 14 anos
Cia. Zero Zero – Texto: Bruno Garcia e Cia. Zero Zero – direção: Alice K – elenco: Bruno Garcia, Miguel Atênsia, Rudson Marcello, Thais Brandeburgo e Vinicius Carvalho
24/3 a 30/4
Centro Cultural São Paulo
Terça a quinta, às 21h. Sessão extra dia 30/04 às 19h.
R$5,00

Jorge Guinle – Belo Caos

março 11, 2009 § 2 Comentários

Jorge Guinle – Ar Azul 1981, upload feito originalmente por andrearonqui.

À parte de entender arte abstrata, ver o trabalho de Jorge Guinle é, antes de tudo, uma experiência sensorial.

Cada obra é uma explosão de cores, formas, direções, curvas, contrastes, texturas. Um banquete para aqueles a quem atrai o estímulo visual.

A exposição Belo Caos está acontecendo no MAM/São Paulo e fica até 29 de março.

Jorge Guinle – Belo Caos
MAM/SP

Parque do Ibirapuera, portão 3 – s/nº
Tel.: (11) 5085-1300
Terça a domingo e feriados das 10h às 18h (a bilheteria fecha às 17h30)
R$5,50 (estudantes e idosos pagam meia)

9a Bienal de Design Gráfico

março 9, 2009 § 1 comentário

O Centro Cultural São Paulo será o ponto de encontro de designers e artistas da cidade entre 7 de março e 17 de maio de 2009. É lá que está acontecendo a nona edição da Bienal de Design Gráfico.

A exposição traz trabalhos de designers de todo o país, mas o que eu quero destacar mesmo é o ciclo de palestras e debates que vai acontecer durante esse período. Profissionais das áreas de design gráfico, tipografia, dança e teatro trarão suas experiências, com espaço para troca de ideias.

Corra lá e veja a programação!

9a Bienal de Design Gráfico
Onde: Centro Cultural São Paulo
– Piso Caio Graco
Quando: 7/3 a 17/5/2009
Terça a sexta, das 10h às 20h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h

Luciana Maas – Memória e Imaginação

fevereiro 11, 2009 § 3 Comentários

As artes visuais, considerando-se aqui todas aquelas que se utilizam da linguagem visual, encantam, comovem, impressionam, porque permitem que se veja o olhar que outra pessoa tem do mundo. Assim, pintores, diretores de cinema, fotógrafos, são todos artistas.

As pinturas de Luciana Maas são seu olhar do mundo. Suas figuras de rostos indefinidos têm a fugacidade de um sonho, mas a singeleza das situações reflete  cenas que se encaixariam no cotidiano de qualquer um.

Não arriscaria dizer mais que isso, o resto deixo por conta do olhar de cada um:

Butiquim 02 (2004 - guache s/ papel)

Butiquim 02 (2004 - guache s/ papel)


Luciana Maas – Memória e imaginação

Espaço Cultural Citi
Av. Paulista, 1.111
Segunda à sexta, das 9h às 19h
Sábados, domingos e feriados, das 10h às 17h
Grátis

Você pode ver a galeria completa no UOL.

Zupi #12 – É hoje!

fevereiro 10, 2009 § Deixe um comentário

zupi12Para o tradicional lançamento nas bancas e livrarias de sua edição trimestral, a Zupi convida todos os designers, ilustradores e outros apaixonados pela revista para comparecerem ao Piola Jardins, hoje às 19h.

A décima segunda edição também inaugura o terceiro ano da revista, para a alegria dos seus “seguidores”. Traz trabalhos de artistas como Anthony Lister (artista plástico/Austrália), Vitché (graffiti/Brasil), Rodolphe Simeon (fotógrafo/França), entre outros. A ilustração da capa fica por conta de Alex Gross.

O lançamento paulistano acontece hoje. Amanhã (11), no Rio de Janeiro e Curitiba. Quinta-feira (12), Belo Horizonte. Sexta (13), Porto Alegre e sábado (14), Salvador. É a Zupi desbravando a terra brasilis.

Lançamento Zupi #12
Piola Jardins

Al. Lorena, 1765 – Jardim Paulista, São Paulo/SP
10 de fevereiro às 19h
http://www.piola.it

  • Arteando é um espaço para a divulgação das artes. As de hoje e as de ontem. Cursos, exposições, notícias, dicas e história da arte. Saiba mais
  • Livros - Submarino.com.br